PC do B definirá quem será o vice na chapa de Fátima Bezerra neste domingo - Joabson Silva

NOVAS

03/07/2018

PC do B definirá quem será o vice na chapa de Fátima Bezerra neste domingo


Uma reunião neste domingo em Natal, ainda em local não determinado pelo PC do B, vai definir quem será o candidato vice-governador que vai compor a chapa majoritária com a senadora Fátima Bezerra (PT). Ao todo, quatro pré-candidatos disputam esta vaga: o professor da Uern e empresário Gutemberg Dias, o procurador do Estado e presidente do PC do B, Antenor Roberto; o tabelião do município de Parnamirim, Airene Paiva e o professor e ex-secretário estadual de Esporte, Francisco Canindé França.

Nas fileiras comunistas, o nome de Gutemberg Dias vem ganhando força, sobretudo pelo seu desempenho nas últimas eleições – quando concorreu à prefeitura de Mossoró e ficou em terceiro lugar – podendo ampliar a votação de Fátima Bezerra no segundo maior colégio eleitoral do Estado e nos municípios vizinhos. No ambiente acadêmico, o nome de Gutemberg Dias também ganha força, por ser do corpo docente da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern). Contudo, Gutemberg minimiza estas questões: “temos quatro nomes e todos são de valia para a Fátima Bezerra”. Outro atrativo de Gutemberg Dias é a comprovação de realmente haverá mudança no cenário político.

Quanto a futuras alianças políticas, chapa – que além do PT e PC do B tem o PHS – está aberta ao diálogo com outros partidos. Gutemberg Dias avalia que, em caso de segundo turno, haverá um rearranjo político. “Nem todo mundo que está nas outras chapas deverá permanecer parado em caso de derrota no primeiro turno. Por isso, acredito que muita coisa ainda vai acontecer, até porque muitos deputados estão calados e esse silêncio é estratégico”, destaca Gutemberg Dias.

Questionado se em caso de segundo turno todos os partidos se juntariam contra a chapa liderada por Fátima Bezerra, Gutemberg Dias afirma que se isso acontecer será uma prova de que as oligarquias querem se manter no poder e os interesses do Estado estariam em segundo plano. Na avaliação de Gutemberg Dias, se o governador Robinson Faria ficar no mesmo palanque que Rosalba Ciarlini será uma prova desta prática. “Um reclamou da herança deixada pelo outro”, acrescenta Gutemberg Dias.

Já sobre a candidatura de Fátima Bezerra, que vem sendo avaliada como uma boa senadora em nível nacional, Gutemberg Dias crê que – em caso de vitória – a chapa liderada pelo PT e o PC do B terá a oportunidade de mostrar como se faz a diferença. Ele adianta que o Estado irá em busca de parceiros privados para o desenvolvimento do setor mineral, nos segmentos de pedras preciosas, ferro, ouro e calcário, com a finalidade de tornar o Rio Grande do Norte em um polo produtor de cimento.