Por “união do centro”, Flávio Rocha desiste de candidatura a presidente - Joabson Silva

NOVAS

13/07/2018

Por “união do centro”, Flávio Rocha desiste de candidatura a presidente


O empresário potiguar Flávio Rocha, líder do Grupo Guararapes, anunciou nesta sexta-feira, 13, que não vai mais concorrer à Presidência da República nas eleições deste ano. Seu partido, o PRB, confirmou a informação por meio de nota.

Em vídeo divulgado por sua assessoria, Flávio Rocha destacou que deixa o processo eleitoral com a sensação de “dever cumprido”, após ter apresentado “uma verdadeira agenda liberal” para o País.

Sem justificar a desistência ou anunciar apoios, o empresário afirmou que “o Brasil passa por um momento turbulento e que não pode flertar com os extremos”. “Por isso, mais do que nunca, vemos como necessário que todos que sonham com um País livre e democrático se unam em um único projeto de convergência”, afirmou Rocha.

Em nota, o PRB destacou é preciso a união de “forças do centro”. “Ao deixar a pré-candidatura, o PRB e Flávio Rocha abrem espaço para o diálogo firme em busca de construir a proposta mais equilibrada para o Brasil. O país não pode errar”, disse o partido.

O presidente da Riachuelo agradeceu ao apoio recebido pelas lideranças do PRB, que o acolheram no partido, e aos apoiadores do “Brasil 200”, movimento liberal que ele criou no início do ano. Ele saudou também aos militantes do Movimento Brasil Livre, que apoiaram a sua pré-candidatura.

“A retirada da pré-candidatura não significa que eu parei de trabalhar pelo meu ideal. Estou certo de que podere, junto com o PRB, contribuir para a discussão que se seguirá. Vejo no horizonte um Brasil livre, como aquele vislumbrado pelo Brasil 200, aonde nasceu essa luta [candidatura]. Continuarei combatendo o bom combate”, finalizou Rocha.

Confira a nota do PRB na íntegra:

O PRB (Partido Republicano Brasileiro) vem a público informar a retirada da pré-candidatura do empresário Flávio Rocha a presidente da República.

A decisão foi tomada em conjunto entre o presidente nacional do partido, ex-ministro Marcos Pereira, Rocha e a bancada republicana no Congresso.

Há um entendimento claro de que o País não pode flertar com os extremos e, por isso, mais do que nunca durante todo o processo, é fundamental que as forças de centro se unam num único projeto.

Ao deixar a pré-candidatura, o PRB e Flávio Rocha abrem espaço para o diálogo firme em busca de construir a proposta mais equilibrada para o Brasil. O país não pode errar.

A partir de agora, os republicanos estarão integralmente debruçados em liderar esse processo e fazer valer a vontade da maioria dos brasileiros, que é o equilibro econômico, a retomada do crescimento e o reencontro com o emprego.