Cai número de candidatos brancos e sobe o de pardos no Rio Grande do Norte - Joabson Silva

NOVAS

27/08/2018

Cai número de candidatos brancos e sobe o de pardos no Rio Grande do Norte


Dos 494 candidatos que solicitaram registro na Justiça Eleitoral para as eleições deste ano no Rio Grande do Norte, pouco mais de 56% (278) declararam ser brancos. O índice é menor do que o registrado em 2014, quando os brancos representavam 66% das candidaturas. Em contrapartida, subiu o número de postulantes que se declararam pardos: eram 25% do universo de candidaturas em 2014 e agora são 34% (169).

O número de negros permaneceu praticamente o mesmo neste pleito, em relação à eleição de quatro anos atrás. São 46 candidatos dessa cor no Rio Grande do Norte, o que representa 9% de todas as candidaturas registradas no Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Os negros eram 8% em 2014.

Já a quantidade de candidatos jovens caiu. Na eleição deste ano, os postulantes com idade de 20 a 29 anos representam 5,4% (27, em termos quantitativos) do total de candidatos, enquanto eram 7% em 2014. O maior grupo de candidatos está na faixa etária de 50 a 54 anos (84 candidatos, 17% do total). O mais velho a concorrer é Geraldo Melo (PSDB), candidato ao Senado, que tem 83 anos. A mais nova é Rayane Barbosa (PSDB), candidata a deputada estadual, com 20 anos.

O cientista político Thiago Vidal não vê perspectiva imediata de superação da sub-representação da sociedade brasileira na Câmara, principalmente em relação aos negros.

“A sub-representação parlamentar, que vai decorrer da sub-representação nas candidaturas, é sintoma da dificuldade que os segmentos mais jovens, os negros e o público feminino têm. É amostragem do grande problema que é essa falta de representação que não deveria existir, porque a maior parte da população é negra e feminina.”

Para Vidal, essa sub-representação é “claramente um problema institucional de instrumentos de participação [na política]”.