Críticas ao Governo, alfinetadas e poucas propostas marcam primeiro debate - Joabson Silva

NOVAS

17/08/2018

Críticas ao Governo, alfinetadas e poucas propostas marcam primeiro debate


Os oito candidatos ao Governo do Estado participaram, nesta quinta-feira (16), do primeiro debate das eleições 2018, promovido pela Band. Breno Queiroga (Solidariedade), Carlos Alberto (PSOL), Carlos Eduardo Alves (PDT), Dario Barbosa (PSTU), Fátima Bezerra (PT), Freitas Júnior (REDE), Heró Bezerra (PRTB) e Robinson Faria (PSD) fizeram perguntas entre si e responderam a questionamentos de internautas e jornalistas. As críticas ao Governo do Estado e alfinetadas entre si marcaram a noite de pouca apresentação de propostas.

Sobre o desempenho dos candidatos, Carlos Alberto e Fátima Bezerra foram os únicos a aprofundar Planos de Governo. Robinson Faria teve uma postura mais agressiva, apresentando feitos do Governo. Carlos Eduardo Alves fez o mesmo com as suas administrações de Natal. Os dois trocaram farpas do início ao fim do debate. Breno Queiroga se mostrou equilibrado, mas não foi além das críticas. Dario Barbosa e Freitas Júnior apresentaram discursos mais ideológicos Heró Bezerra respondeu várias perguntas com o uso de cola.

Durante a primeira rodada, as perguntas foram feitas entre os candidatos. Críticas ao Governo do Estado e pequenas alfinetadas entre eles predominaram este momento. A segurança pública foi o tema mais recorrente, com menções a falhas da atual administração. Robinson Faria e Fátima Bezerra se dirigiram a Carlos Eduardo como o candidato “dos Alves” e “das oligarquias”, respectivamente.

A segunda rodada foi feita com perguntas enviadas pela internet. Os comentários às respostas ao invés de réplicas acabaram por esfriar o debate, com folga para discursos mais evasivos. Dario Barbosa chamou o Portal da Transparência de “Portal da Transferência” e o Arena das Dunas virou “Arena das Dívidas” nas palavras de Freitas Júnior.

Confira à íntegra:



Na terceira rodada, as perguntas entre si foram retomadas. Carlos Eduardo citou que a Barragem de Oiticica está localizada no município de Caicó, quando, na verdade, a obra está sendo executada em Jucurutu. O equívoco foi ironizado por Robinson Faria e nas redes sociais. Nesta rodada, Freitas Júnior chegou a acusar Robinson Faria de ter “assassinado” vítimas de homicídio no Estado.

A quarta rodada – a última com perguntas, já que a quinta foi dedicada às considerações finais – trouxe os questionamentos feitos pelos jornalistas da Band. Heró Bezerra afirmou, neste bloco, que “três candidatos podem terminar a eleição presos”. A segurança pública voltou a ser tema de questionamento. Corrupção na política e manutenção da UERN também entraram em pauta antes das despedidas dos candidatos, que pleiteiam assumir o Governo do Estado entre os anos de 2019 e 2022.

Direitos de respostas

Ao longo do debate, dez direitos de respostas foram concedidos. Cinco a Robinson Faria, quatro a Fátima Bezerra e um a Carlos Eduardo, os três candidatos que lideram as pesquisas de intenção de voto. Críticas e insinuações motivaram a concessão dos recursos, utilizados pelo trio para novas alfinetadas entre si.