No RN maioria das mulheres reprova o aborto e teme violência - Joabson Silva

NOVAS

03/09/2018

No RN maioria das mulheres reprova o aborto e teme violência


A descriminalização do aborto é um dos temas mais polêmicos que estão sendo discutidos no Brasil. O assunto divide opiniões por sua complexidade. Aqueles que defendem a legalização dizem, entre outros argumentos, que a legalização dará a mulher o poder de decisão sobre o próprio corpo perante a sociedade, reduzindo os riscos para sua vida, uma vez que passariam a ser atendidas pelo Sistema Único de Saúde, mas no Rio Grande do Norte, 88,46% das mulheres se dizem contrárias à legalização.

Foi isso que a pesquisa a Pesquisa Fiern/Certus, divulgada nesse domingo (2), constatou. Todas as regiões apresentaram percentuais acima dos 84% de mulheres repugnando a lei que libera o aborto no país. Mulheres da região do Leste potiguar são as que mais se mostraram contrárias à descriminalização do aborto (93,94%), seguidas daquelas da região Oeste: Alto Oeste (93,26%) e Médio Oeste (90,68).

Apenas 6.54% das norte-riograndenses aparecem na pesquisa defendendo a descriminalização do aborto, sendo que as residentes da Grande Natal são as que se mostram mais favoráveis (8.47), mesmo que esse percentual nem se aproxime do percentual daquelas que são contra dentro da mesma região(84.68%). No Brasil, o aborto só é permitido em casos gravides provocada por estupro, quando há risco para a vida da mãe ou em casos de fetos sem cérebro.

Violência

O problema mais temido entre as potiguares de todas as regiões do estado é a violência de gênero, aquela praticada contra elas por sere mulheres. De acordo com a pesquisa Certus/Fiern, metade delas (50%) colocam essa preocupação acima da saúde (21,25%), desemprego (17,05%) e desigualdade salarial (7,12%).

Na região Metropolitana essa preocupação com a violência atinge 55,02%. É o maior índice regional, seguido por 54,55% no Leste potiguar, 50% no Alto Oeste e 49,15% no Médio Oeste. No Agreste Trairi 46,85% das mulheres têm maior preocupação com a violência, assim como 46,77% da região Central.

Quando perguntadas quais as áreas que o futuro governador deve priorizar, as maiores notas dadas por elas foram para saúde (4.88), prevenção da violência contra mulher (4.8) e valorização da mulher (4.8).

A ‘3ª Pesquisa Fiern/Certus Retratos da Sociedade Potiguar’ foi realizada entre 24 e 27 de agosto e está registrada na Justiça Eleitoral sob os números RN-06196/2018 e BR-07862/2018. Foram feitas 1.410 entrevistas com eleitores maiores de 16 anos nas oito regiões do RN, sendo 54,47% das pessoas ouvidas mulheres e, consequentemente, 45,53% homens. A margem de erro é de 3% e o intervalo de confiança de 95%.