Próximo governador terá de retomar liderança sobre a PM, afirma ex-comandante - Joabson Silva

NOVAS

26/09/2018

Próximo governador terá de retomar liderança sobre a PM, afirma ex-comandante


Ex-comandante-geral da Polícia Militar, o coronel reformado André Azevedo acredita que o maior desafio do próximo governador do Rio Grande do Norte será “reconquistar a liderança” sobre a corporação, algo que, na opinião dele, foi perdido durante a gestão de Robinson Faria, hoje candidato à reeleição pelo PSD.

Candidato a deputado estadual pelo PSL, o oficial argumenta que os agentes da PM precisam ter confiança no governo para trabalhar. “O governo perdeu a credibilidade junto aos agentes de segurança. Não cumpre promessa. Sua palavra é como um risco na água. É preciso reconquistar a confiança dos operadores, respeitando a legislação e os direitos dos policiais”, aponta.

Segundo o coronel, outra prioridade da futura gestão deverá ser a destinação de mais recursos para custeio da PM. André Azevedo registra que a verba para a corporação caiu significativamente durante a atual gestão. “Foram R$ 11 milhões a menos apenas em 2018. Hoje, por causa disso, os policiais cozinham e têm de pedir, nas cidades, socorro aos prefeitos. É um desmantelamento completo da máquina”, afirma.

O ex-comandante da PM defende a realização imediata de concurso público para repor o efetivo e também a aprovação de uma lei que reformule as competências da corporação. O coronel sugere ainda mais investimento em tecnologia, para dar condições aos policiais de combaterem a violência, e um sistema para medir o nível de satisfação da população e a eficiência dos operadores. “A partir daí a Polícia Militar poderá atuar minimamente”.

André Azevedo diz que também é necessário melhorar a capacidade investigativa da Polícia Civil. Para ele, a criminalidade não se reduz apenas com operação “espanta barata”, ou seja, com forte repressão – mas sim com inteligência. “A taxa média de elucidação de homicídios não chega a 10%. Está muito baixo o índice de esclarecimento de crimes. O bandido não tem medo de investigação, porque milhares de crimes não são investigados”, complementa.

O policial militar diz que escolheu o PSL para ser candidato por causa de Jair Bolsonaro, candidato à Presidência pela sigla. André Azevedo se apresenta como a “opção de mudança no RN que Bolsonaro representa para o Brasil”. “Somos, assim como ele, conservadores nos costumes e liberais na economia. Temos de reduzir o tamanho do Estado para que o mercado se desenvolva”, resume.

GOVERNO DO ESTADO

Na majoritária, o coronel André Azevedo defende a eleição do ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT). De acordo com o militar, o pedetista poderá “reerguer” o Estado, assim como fez na Prefeitura do Natal ao suceder Micarla de Sousa (2009-2012).

O candidato a deputado estadual pelo PSL disse temer um governo de Fátima Bezerra (PT), que lidera as pesquisas de intenção de voto. “Ela sendo eleita, a tendência é que os petistas do País inteiro venham buscar sombra no Rio Grande do Norte, já que – no Brasil – o PT foi o partido que mais encolheu nos últimos anos”, avalia.

Sobre Robinson Faria, o coronel Azevedo registra que o atual governador “bateu todos os recordes negativos em segurança”. “Bateu recorde em crimes, fuga de presos e assassinatos de policiais. É um governo altamente desastroso. Não vai avançar para o segundo turno. Percorri nos últimos dias a estrada que liga Caicó a Jucurutu – está totalmente destruída. Com Robinson reeleito, não se sabe o que mais ele vai destruir”, finaliza.