Venda de imóveis residenciais cresce 4,7% no primeiro trimestre no RN - Joabson Silva

NOVAS

17/09/2018

Venda de imóveis residenciais cresce 4,7% no primeiro trimestre no RN


O último levantamento sobre o mercado imobiliário no Rio Grande do Norte, divulgado pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Rio Grande do Norte (Sinduscon/RN), mostrou que o ano de 2018 começou positivo para o setor. Nos três primeiros meses, por exemplo, houve crescimento de 4,7% na venda de imóveis residenciais. O desempenho foi decisivo para o planejamento das ações do setor neste segundo semestre, que conta com a entrega de imóveis finalizados.

O empresário Adailton Azevedo da Silva recentemente adquiriu um apartamento em um condomínio no bairro de Lagoa Nova. Segundo ele, há algum tempo procurava apartamento por essa região. “Conversei com o corretor e disse que queria algum imóvel nessa área. Quando ele me apresentou o Jardim Lagoa Nova, vendi logo o meu antigo apartamento, comprei o mobiliado e me mudei com a minha esposa e meu filho mesmo antes da entrega oficial, pois o condomínio atende a bem a necessidade da minha família e fica no caminho da nossa rotina”, explica.

O perfil de consumidores como Adailton empolga os empresários do setor. Segundo a Sondagem Industrial divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), o índice que mede a confiança dos empresários do setor de construção civil cresceu 2,9 pontos e chegou a 51,8 pontos em agosto, após dois meses de quedas seguidas.

Para Francisco Molinero, diretor da Terraz Incorporações, empresa responsável pelo imóvel em que mora a família de Adailton, os consumidores são parte importante na retomada da confiança no setor. “As pessoas também voltaram a confiar na indústria da construção civil e, o melhor, estão investindo. A prova disso é que entregamos este empreendimento com quase todos os apartamentos vendidos”, revela.

Outra notícia que movimentou o segmento foi o anúncio da Caixa Econômica Federal de reduzir de 9% para 8,75% a taxa mínima de juros no financiamento de imóveis de até R$ 950 mil no Distrito Federal, Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro; e de até R$ 800 mil nos demais estados, entre os quais está o Rio Grande do Norte.