PT também foi acusado de pagar por propaganda eleitoral ilegal no Twitter e no Facebook - Joabson Silva

NOVAS

19/10/2018

PT também foi acusado de pagar por propaganda eleitoral ilegal no Twitter e no Facebook


Em agosto, empresas ligadas ao deputado federal Miguel Corrêa (PT-MG) foram acusadas por influenciadores digitais de contratar propaganda irregular pró-PT no Twitter. O caso ficou conhecido como Mensalinho do Twitter.

Entre as empresas envolvidas estava a agência Lajoy e a Follow Análises Estratégicas. Um mês depois, o Facebook removeu 11 páginas e 42 perfis administrados pela empresa Follow. Segundo o Facebook, as páginas violavam as políticas de autenticidade da rede social.

Sobre as acusações de que as empresas do deputado teriam pago pessoas para promover conteúdo favorável ao seu partido nas redes sociais, o deputado disse que “nunca houve um contrato com uma única pessoa com esse objetivo.” “Eu desafio qualquer um a provar isso com um único depósito relativo a minhas empresas.”