Sobrenome idêntico, famílias diferentes: entra Maia e sai Maia no poder do RN - Joabson Silva

NOVAS

09/10/2018

Sobrenome idêntico, famílias diferentes: entra Maia e sai Maia no poder do RN


As eleições deste fim de semana trouxeram transformações políticas que começarão a ser sentidas a partir de janeiro do próximo ano em todo o País. Os resultados já foram confirmados e agora é só uma questão de tempo. No caso do Rio Grande do Norte, uma família Maia deixa o poder – pelo menos nos próximos dois anos – e outra se reafirma no legislativo federal, ocupando vagas idênticas: uma de deputado e outra de senador.

Apesar da comprovação nas urnas da dança das cadeiras, o nome Maia continua vivo, mas sem parentesco. O Maia de José Agripino, senador que foi candidato a deputado federal e derrotado nestas eleições e do seu filho Felipe, que nasceu no Rio de Janeiro não foi candidato, é o que o deixa o poder. José Agripino Maia é de Mossoró e já foi governador duas vezes, está no quarto mandato como senador e tem – em sua família – outros exemplos na política, como seu pai Tarcísio Maia, que foi governador indicado pelos militares nos anos 1970, e seu primo Lavoisier Maia, que também foi governador biônico e deputado por vários mandatos.

José Agripino é primo de César Maia – ex-prefeito do Rio de Janeiro e que foi candidato ao senado da República e também foi derrotado nas urnas. César Maia é pai de Rodrigo Maia, atual presidente da Câmara dos Deputados, que foi reeleito, mas seu partido – o Democratas, vulgo DEM – perdeu força. No entanto, o histórico conservador do partido vai permitir que ele componha o poder em um eventual governo de Jair Bolsonaro, que hoje está na frente na corrida eleitoral. Para quem não lembra, o DEM era o PFL, que foi PDS, que foi Arena e apoiou o golpe militar e, antes de tudo isso, era a remota União Democrática Nacional (UDN).

Os Maias que vão assumir o poder a partir de janeiro são oriundos do Estado da Paraíba, do município de Brejo da Cruz. Os irmãos Zenaide Maia e João Maia foram eleitos senador e deputado federal, respectivamente. Zenaide é deputada federal e seu irmão João irá para um terceiro mandato. De 2014 para cá, ele havia ficado fora da política por ter sido o vice de Henrique Alves, que perdeu a eleição para governador em 2014 para Robinson Faria, que já deu adeus à reeleição.

Zenaide Maia irá para o seu primeiro mandato como senadora. Como deputada federal, ela foi a única da bancada potiguar que votou contra o impeachment da Dilma Rousseff, aproximando-se mais da esquerda política. Ela é esposa de Jaime Calado, médico sanitarista e empresário e que já foi prefeito de São Gonçalo do Amarante por duas vezes. Ela também é mãe de Mada Calado, que foi secretária de assuntos extraordinários no mesmo município e foi candidata a deputada estadual pelo PT, mas não venceu as eleições.

A nova senadora Zenaide Maia também é irmã de Agaciel Maia, deputado distrital em Brasília e que também foi reeleito neste fim de semana. Entretanto, Zenaide Maia e José Agripino Maia não são parentes, embora nos bastidores da política haja sempre uma “má língua” que diz que eles são ligados, mas não são. Concreto mesmo é que nestas eleições uma família Maia se fortalece no poder e outra família Maia se afasta temporariamente da política pelo resultado das urnas. No entanto, nos próximos dois anos, todos os Maias estarão na política outra vez.