IML diz que causa de morte de jogador no Paraná foi facada no pescoço - Joabson Silva

NOVAS

23/11/2018

IML diz que causa de morte de jogador no Paraná foi facada no pescoço


Os laudos realizados pela Polícia Científica do Paraná e pelo Instituto Médico-Legal (IML) apontam que a causa da morte do jogador Daniel foi a facada que recebeu no pescoço. A perícia, no entanto, não conseguiu concluir se o jogador foi mutilado enquanto ainda vivo.

O jogador Daniel Correia Freitas, de 24 anos, foi encontrado morto com o pênis cortado em um matagal na área rural de São José dos Pinhais no dia 27 de outubro.

Segundo o IML, Daniel foi morto por causa dos golpes de faca que recebeu no pescoço, mas não é possível dizer se ele foi multilado enquanto ainda estava vivo.

“A degola parcial foi o motivo da morte, mas não é possível precisar qual lesão aconteceu antes e se ele tinha sinais vitais quando foi mutilado”, afirmou o diretor do IML, Paulino Pastre.

O crime aconteceu após a festa de aniversário de Allana Brittes. O pai dela, Edison Brittes Júnior, confessou em depoimento à polícia que matou o jogador porque Daniel teria tentado estuprar a esposa de Edison, Cristiana Brittes.

Sete pessoas estão presas: Edison Brittes, Cristiana Brittes, Allana Brittes, Eduardo Purkote, Eduardo da Silva, Ygor King e David Willian.

Mais de uma pessoa carregou o corpo de Daniel

Segundo a Polícia Científica, o corpo de Daniel foi carregado por mais de uma pessoa no trajeto do carro até o local onde o corpo foi encontrado. “Com sinais que encontramos no chão, é possivel dizer que mais pessoas carregaram o jogador”, disse o perito criminal do local, Jerry Gandin.

“Lesões dorsais, torácicas e na coxa de Daniel apontam que provavelmente duas pessoas carregaram o jogador neste trajeto” afirmou o diretor do IML, Paulino Pastre.

Em depoimento à polícia, Edison Brittes Júnior, pai de Allana, disse que cometeu o crime sozinho.

Segundo a Polícia Civil, Eduardo da Silva, Ygor King e David Willian estavam com Edison Brittes no carro que levou Daniel até o local onde foi morto. Os suspeitos, no entanto, disseram em depoimento à polícia que Edison carregou sozinho o corpo do jogador.

Perícia na casa e no carro

A criminalística também encontrou vestígios de sangue no quarto de Cristiana e no carro de Edison Brittes. Segundo o laudo, há sinais de que houve tentativa de limpeza dos locais.

A Polícia Científica identificou que a porta do quarto de Cristiana foi arrombada, mas não conseguiu precisar em que momento isso aconteceu.

Inquérito

O delegado da Polícia Civil Amadeu Trevisan, responsável pelo caso da morte, concluiu o inquérito nesta quarta e entregou ao MP-PR. Os laudos foram anexados ao documento.

Com a conclusão do inquérito, cabe ao Ministério Público apresentar ou não a denúncia. A partir disso, se houver denúncia e a justiça aceitá-la, os indiciados viram réus e podem ir a julgamento.

Morte do jogador

O corpo do jogador Daniel, de 24 anos, foi encontrado perto de uma estrada rural na Colônia Mergulhão, em São José dos Pinhais, no dia 27 de outubro. O órgão sexual do jogador foi mutilado no crime.

Segundo a polícia, Daniel foi morto depois de uma festa em comemoração ao aniversário de 18 anos da filha de Edison Brittes Júnior. A festa começou em uma casa noturna, em Curitiba, na sexta-feira (26), e terminou na manhã de sábado (27), na casa da família Brittes, em São José dos Pinhais.

Edison Brittes Júnior disse que cometeu o crime porque o jogador tentou estuprar a esposa, Cristiana Brittes.