Ivenio Hermes: escolhido por Fátima para segurança e alvejado na internet - Joabson Silva

NOVAS

14/11/2018

Ivenio Hermes: escolhido por Fátima para segurança e alvejado na internet


Desde que a governadora eleita, Fátima Bezerra, do PT, anunciou a equipe de transição, no começo do mês, o time de assessores foi criticado pela falta de alguém ligado à pauta da segurança pública. Na última segunda-feira, 12, Ivenio Hermes foi confirmado para suprir essa lacuna. A presença dele, no entanto, não pôs um ponto final às críticas. O homem de 51 anos sofre um linchamento moral nas redes sociais.

“Tenho visto críticas, principalmente, de cunho pessoal. Criticam o fato de eu gostar dos meus gatos. Duvidam até de minha masculinidade. São comentários tão baixos. Essas pessoas fazem isso por duas coisas: minha escolha não foi feita pelos ‘privilegiados’ deles e porque temem minha capacidade profissional”, destacou.

Nas redes sociais, Hermes costuma demonstrar amor por Boris e Lippie, dois gatos. Uma foto dele com um dos felinos tem sido compartilhada como chacota ao homem, que divide a atenção dada aos pets com a esposa e com três filhos.

A faculdade de Ivenio Hermes é outro motivo de crítica. Ele é graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade da Amazônia. “As pessoas se prendem à primeira linha, de arquiteto. Mas se esquecem de todo o meu histórico na área da segurança”, ressaltou.

O ex-policial rodoviário federal tem, no Currículo Lattes, vários cursos da área da segurança. No Estado, ele já trabalhou na Secretaria de Segurança. Foi coordenador de Estatística e Análise Criminal no começo do Governo de Robinson Faria, do PSD.

Fora das redes sociais, a rejeição ao nome de Ivenio Hermes na equipe de transição do novo governo se dá, principalmente, pelo temor de que ele se torne secretário de Segurança Pública. Posto para o qual, de acordo o homem de 51 anos, não foi sequer cogitado. “Eu nem comecei a trabalhar na equipe da governadora eleita, ainda. A primeira reunião vai ser sexta (16), às 9h”, revelou.

Perguntado se aceitaria ser secretário, Hermes demonstrou não ter resposta pronta: “Tenho que analisar e conversar com minha família. Além da minha esposa e dos meus filhos, tenho uma mãe que cuido”. O eventual convite seguido de uma análise que resulte em uma resposta positiva é o que preocupa fontes da Segurança Pública ouvidas pelo Portal No Ar.

“Ivenio me parece uma pessoa boa, um estudioso. Não tenho opinião formada para o caso dele se tornar secretário, mas vejo com preocupação”, comentou o major Antoniel Moreira, presidente da Associação dos Oficiais Militares do RN. O policial militar revelou que esperava um representante da corporação na equipe da governadora eleita.

Pelo lado da Polícia Civil, o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Rio Grande do Norte, Nilton Arruda, também não quer Hermes como titular da Segurança Pública do Estado. “Ele tem um trabalho interessante com as estatísticas criminais. Se ele seguir com essa atividade, vejo com bons olhos. Mas para secretário, não vejo o nome dele como apropriado”.

O trabalho estatístico a que se referiu Arruda se trata do Observatório da Violência Letal Intencional do RN, o Obvio, que é coordenado por Hermes. O instituto contabiliza os crimes contra a vida no estado.