Beto Rosado diz que Fátima Bezerra não tem “perfil” para resolver crise no Estado - Joabson Silva

NOVAS

20/12/2018

Beto Rosado diz que Fátima Bezerra não tem “perfil” para resolver crise no Estado


O deputado federal Beto Rosado (Progressistas), reeleito para o cargo após recontagem feita pela Justiça Eleitoral, disse nesta quarta-feira, 19, que a governadora eleita do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), não tem “perfil” para adotar medidas de gestão que, na avaliação dele, são necessárias para ajustar as finanças do Estado.

Em entrevista à 96 FM, o parlamentar afirmou que o Estado “não está bem” economicamente, com déficit fiscal de aproximadamente R$ 100 milhões por mês e com poucos recursos no fundo previdenciário.

“Para solucionar essa questão, o governo tem de adotar medidas difíceis, de enxugamento da máquina pública. Não vejo muito esse perfil na candidata que ganhou, Fátima Bezerra. Acho até que ela pode fazer um bom governo, mas não visualizo hoje um horizonte muito aberto”, opinou.

Beto Rosado, que destituiu Fernando Mineiro (PT) do cargo de deputado federal após recontagem, acrescentou que seu mandato em Brasília estará à disposição para auxiliar o novo governo, mas que projeta muitas dificuldades para Fátima Bezerra. “Espero que ela tenha coragem de tomar as medidas, que vão de encontro à ideologia dos parceiros dela”, disse, sem especificar.

Detentor de quase 72 mil votos na eleição deste ano, Beto Rosado falou também sobre sua expectativa em relação ao governo do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL). O deputado potiguar revelou acreditar que “o País vai caminhar para um rumo melhor” na nova gestão.

“Acredito que Bolsonaro irá pautar seu governo na transparência e na honestidade, dando seguimento a uma agenda de desenvolvimento econômico, que estamos precisando”, emendou.

ELEIÇÃO DIFERENTE

Membro de uma das famílias mais tradicionais da política no Rio Grande do Norte, Beto Rosado creditou às fake news (notícias falsas) e à chamada “onda Bolsonaro” o baixo desempenho eleitoral de caciques do Estado, como os senadores Garibaldi Alves Filho (MDB) e José Agripino Maia (DEM) e o deputado Rogério Marinho (PSDB), que não conseguiram se eleger.

“Houve a disseminação de muitas informações erradas, as fake news. Sofri muito, por exemplo, com a conversa de ‘Beto Rosado era contra trabalhador’, porque votei a favor da reforma trabalhista. Sabemos que a reforma foi e é importante para a nossa sociedade. Essa foi uma informação muito disseminada, principalmente por grupos de esquerda, e confundiu o eleitorado”, argumentou.

Sobre a “onda Bolsonaro”, que alavancou candidaturas do PSL pelo País afora, Beto Rosado citou a eleição de Girão Monteiro para a Câmara Federal. “Foram novidades que aconteceram nesse pleito e provocaram mudanças na sociedade”, finalizou.