Servidor que atirou em promotores será julgado nesta terça-feira em Natal - Joabson Silva

NOVAS

11/12/2018

Servidor que atirou em promotores será julgado nesta terça-feira em Natal


O servidor público Guilherme Wanderley Lopes da Silva, que em março de 2017 abriu fogo contra o então procurador-geral de Justiça, Rinaldo Reis; o procurador adjunto Jovino Pereira Sobrinho; e o promotor Wendell Beethoven Ribeiro Agra, será julgado na manhã desta terça-feira, 11, no Fórum Desembargador Miguel Seabra Fagundes, a partir das 8h.

Na sede do Ministério Público do Rio Grande do Norte, Guilherme Wanderley atirou nos promotores. Errou o tiro em Rinaldo Reis, mas acertou Jovino Pereira Sobrinho e Wendell Beethoven, que sobreviveram.

A presidente em exercício da Associação do Ministério Público do Estado do Rio Grande do Norte (Ampern), Juliana Limeira Teixeira, disse nesta segunda-feira, 10, que espera que se faça Justiça aos promotores, que sofreram um atentado em pleno exercício da profissão.

O advogado Gabriel Bulhões Nóbrega Dias, que defende os interesses dos promotores de Justiça, acredita que o servidor Guilherme Wanderley Lopes da Silva será culpado por tentativa de homicídio e deverá cumprir pena em regime fechado.

Guilherme é servidor concursado do Ministério Público desde 2001 e queria que o então procurador Rinaldo Reis se exonerasse. Ele jogou uma carta sobre a mesa do procurador com suas exigências e abriu fogo em sequência.

Os três promotores voltaram às atividades normais, mas o trauma do atentado persiste, principalmente porque a tentativa de assassinato se deu dentro da própria sede do Ministério Público e em pleno horário de trabalho. Nesta terça-feira, o plenário do júri será aberto, depois haverá o sorteio dos jurados, a oitiva das testemunhas de acusação, depois as de defesa. “Até o momento o acusado não se pronunciou”, disse o advogado Gabriel Bulhões Nóbrega Dias, que defende os promotores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário