Girão espera que decreto de calamidade financeira não oficialize calote no RN - Joabson Silva

NOVAS

07/01/2019

Girão espera que decreto de calamidade financeira não oficialize calote no RN


O general da reserva e deputado eleito pelo Partido Social Liberal (PSL) no Rio Grande do Norte, Eliéser Girão Monteiro Filho, espera que o estado de calamidade financeira decretado, recentemente, pela governadora Fátima Bezerra (PT) no Rio Grande do Norte não sirva como pretexto de oficializar um calote nas empresas que prestaram serviço ao estado, mas ainda aguardam pagamento das gestões passadas. Para ele, “é necessário que a governadora não tenha apenas boa vontade, mas demonstre isso reduzindo gastos com pessoal para enxugar a máquina pública”.

No cenário nacional, Girão acredita que o deputado federal Rodrigo Maia (DEM) é um dos parlamentares mais afinados com o funcionamento do Congresso Nacional e predisposto às mudanças necessárias na legislação brasileira, conforme observação do presidente da República, Jair Bolsonaro, sobretudo do PSL. “Nas conversas que eu participei, por enquanto, o nome mais cotado para assumir a presidência da Câmara é dele (Rodrigo Maia), que tem perfil de conciliador entre partidos dentro e fora da base do governo. Isso foi uma decisão tomada pela nossa liderança, junto com o presidente do PSL, Luciano Bivar”.

Sobre a posse presidencial, o deputado federal eleito afirmou que Jair Bolsonaro fez uma campanha simples, sem investimentos altos a exemplo de outros candidatos. O que se viu na posse, observou Girão, foi autenticidade e simplicidade. “Nas posses anteriores, era claramente explícitas as mobilizações partidárias que recebiam passagens de ônibus para acompanhar o evento no Distrito Federal. Isso demonstra que o Brasil está mudando e a classe política atual que está aí já enxerga que o povo está cansado da velha política e clamou por mudanças nas urnas”. 

O general da reserva e deputado eleito pelo Partido Social Liberal (PSL) no Rio Grande do Norte, Eliéser Girão Monteiro Filho, acredita que o deputado federal Rodrigo Maia (DEM) é um dos parlamentares mais afinados com o funcionamento do Congresso Nacional e predisposto às mudanças necessárias na legislação brasileira, conforme observação do presidente da República, Jair Bolsonaro, sobretudo do PSL.

“Nas conversas que eu participei, por enquanto, o nome mais cotado para assumir a presidência da Câmara é dele (Rodrigo Maia), que tem perfil de conciliador entre partidos dentro e fora da base do governo. Isso foi uma decisão tomada pela nossa liderança, junto com o presidente do PSL, Luciano Bivar”.

Com relação ao estado de calamidade financeira decretado pela governadora Fátima Bezerra (PT) no Rio Grande do Norte, Girão lembrou que a situação é antiga no estado e que o decreto não sirva como pretexto de oficializar um calote nas empresas que prestaram serviço ao estado, mas ainda estão como restos a pagar. “É necessário que a governadora não tenha apenas boa vontade, mas demonstre isso reduzindo gastos com pessoal para enxugar a máquina pública”.

Sobre a posse presidencial, o deputado federal eleito afirmou que Jair Bolsonaro fez uma campanha simples, sem investimentos altos a exemplo de outros candidatos. O que se viu na posse, observou Girão, foi autenticidade e simplicidade. “Nas posses anteriores, era claramente explícitas as mobilizações partidárias que recebiam passagens de ônibus para acompanhar o evento no Distrito Federal. Isso demonstra que o Brasil está mudando e a classe política atual que está aí já enxerga que o povo está cansado da velha política e clamou por mudanças nas urnas”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário