Sargento eleito vereador sob alcunha de cabo afronta Governo Fátima - Joabson Silva

NOVAS

12/02/2019

Sargento eleito vereador sob alcunha de cabo afronta Governo Fátima


Esta terça-feira, 12, foi um dia atípico para o vereador Cabo Ezequiel, que se elegeu, em 2016, para a Câmara de Currais Novos, município distante 172 km de Natal, com a candidatura pelo Partido Solidariedade, tendo obtido 803 votos. O parlamentar da cidade interiorana foi, talvez, a fonte mais procurada pela imprensa. Afinal, começou por ele a ação judicial que obriga a governadora Fátima Bezerra, do PT, a rever o cronograma de pagamento dos servidores.

Apesar de eleito sob a alcunha de cabo, o policial militar que se aposentou após a eleição em 2016, na verdade, é sargento. “Passei quase 10 anos trabalhando como cabo e bem menos tempo graduado como sargento. Então, aqui no interior, o posto anterior ficou impregnado, o que não faz diferença pra mim”, explicou o homem que dedicou 30 dos 52 anos de idade à carreira na Polícia Militar do Rio Grande do Norte.

Ezequiel Pereira da Silva Neto, o nome completo do vereador, deixa claro que tem interesse direto na mudança do cronograma seguido pela governadora. “Sou um funcionário público. Os décimos (13º salários) de 2017 e de 2018, eu não recebi. Hoje, dia 12, é dia de pagar meu cartão de crédito, e cadê o dinheiro que o Estado me deve?”, indagou.

É, justamente, pela regularização dos atrasos deixados pelo ex-governador Robinson Faria, do PSD, que o vereador entrou na Justiça. “Eu sei que a governadora Fátima recebeu uma herança muito ruim. Mas não pode ela continuar a pagar apenas os vencimentos da gestão dela. Desse jeito, só quem tem salário em dia é ela e os comissionados dela. Os servidores, mesmo recebendo, ainda estão com os atrasos”, comentou.

Recentemente, no último dia 4, dois deputados estaduais do Solidariedade também ingressaram na Justiça pelo pagamento dos salários da gestão anterior pelo atual Governo. Kelps Lima, presidente do partido no estado, e Allyson Bezerra e a deputada Cristiane Dantas, do PPL, fizeram o pedido de liminar.

O vereador Cabo Ezequiel nega que ação originada por ele tenha se inspirado na que teve origem na Assembleia Legislativa. “Eu não tinha conhecimento que os deputados também estavam se movendo”, declarou o parlamentar que teceu elogios ao presidente do partido: “Kelps sempre correu atrás do direito dos servidores”.

O pedido de liminar foi recebido pelo juiz Marcus Vinícius Pereira Júnior, da 2ª Vara da Comarca de Currais Novos. “Nós daqui, por se tratar de um município pequeno, conhecemos a magistratura local”, declarou o vereador.

Perguntado sobre o que significa para ele, como vereador de um pequeno município ter impetrado a ação com reflexos em todo o estado, o parlamentar declarou: “Aqui também tem funcionários estaduais com salários atrasados”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário