Sem autorização para transplante, criança luta com burocracia para se manter viva - Joabson Silva

NOVAS

01/04/2019

Sem autorização para transplante, criança luta com burocracia para se manter viva


O médico Madson Vidal, diretor da Associação dos Amigos do Coração da Criança (Amico), utilizou o Instagram para denunciar que a burocracia pode causar a morte de uma criança. A menina, identificada apenas por Brunninha, precisa de um transplante de coração.

De acordo com o médico, a Central Nacional de Transplantes (CNT) negou que a equipe de transplantes do Hospital Rio Grande, em Natal, a listasse para ser transplantada na capital potiguar.

Segundo Vidal, a CNT alegou que o credenciamento do hospital não foi finalizado. Assim, o transplante não poderia ser realizado. “Estamos com uma menina linda com seu coraçãozinho, que não funciona mais, conectado através de tubos a uma máquina (ECMO) para que ela não morra. Ela precisa fazer um transplante de coração para continuar lutando para viver”, escreveu.


Sem a opção de transferência para outro estado, o médico disse que recorreu à Justiça. Contudo, o parecer não foi favorável. “A burocracia é mais importante que a vida e mata”, disse. “Queremos que o poder público se responsabilize pela criança autorizando o transplante em Natal ou ofereça essa possibilidade em outro estado e faça o transporte em UTI aérea”, acrescentou.

Na publicação, Madson Vidal acionou autoridades responsáveis e pediu prioridade para a menina realizar o transplante. “Listem Brunninha como prioridade nacional para tentar fazer o transplante de coração aqui em Natal ou em qualquer outro hospital do Brasil. Ajudem a salvar essa vida!”, concluiu.

Em resposta na rede social, a governadora Fátima Bezerra disse que já está acompanhando o caso e que pediu providências ao secretário de Saúde, Cipriano Maia. “Ele me disse que já acionou a Central Estadual de Transplantes do RN e que juntos estão buscando uma solução”.

Por sua vez, a Secretaria Estadual de Saúde também respondeu ao post e disse que Brunninha precisará ser transferida para um centro que realize transplante cardíaco. Segundo a Sesap, no RN só são feitos transplantes de rim, córnea e medula óssea.

“A Central Estadual de Transplantes do RN e a Central Nacional de Transplantes vão tentar viabilizar o transporte e o transplante”, finalizou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário