Aliados de Bolsonaro assumem PRTB no RN e lançam general para a Prefeitura do Natal - Joabson Silva

NOVAS

30/03/2020

Aliados de Bolsonaro assumem PRTB no RN e lançam general para a Prefeitura do Natal


Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro no Rio Grande do Norte assumiram na semana passada a direção estadual do PRTB, mesmo partido do vice-presidente Hamilton Mourão. No Estado, o novo presidente da sigla é o coronel-aviador Hélio Oliveira, que estava à frente do PSL até o fim do ano passado, mas que deixou a legenda após Bolsonaro fazer o mesmo.

O vice-presidente será o coronel do Exército José Ori Dolvim Dantas. Até então, o PRTB era comandado no RN pelo bispo Heró Bezerra, que foi candidato a governador nas eleições de 2018 e ficou em penúltimo lugar, após obter apenas 4,3 mil votos.

O partido vai abrigar os apoiadores de Bolsonaro enquanto a nova sigla idealizada pelo presidente, o Aliança pelo Brasil, não sai do papel. Com a legenda provisória, os apoiadores de Bolsonaro no Rio Grande do Norte pretendem ter candidatura própria à Prefeitura do Natal. O pré-candidato do grupo é o general Araújo Lima, que era o secretário-geral do PSL no Estado até o fi m de 2019. Em entrevista à Rádio Agora FM (97,9) no último dia 11, Araújo Lima já havia falado da possibilidade.

“Nosso grupo foi formado na base da confiança. A liga que o grupo tem é a confiança na liderança e no projeto. É uma bandeira que defendemos voltada para valores. Nós temos propostas e projetos”, disse o general. Os aliados do presidente no RN decidiram se filiar ao PRTB diante da dificuldade de formalização do Aliança pelo Brasil.

Para estar apto a disputar eleições, o novo partido de Bolsonaro precisa reunir quase 500 mil assinaturas, e elas precisam ser validadas pela Justiça Eleitoral. A ação, contudo, se mostrou inviável, já que todas as etapas precisariam ser vencidas até o início de abril. Ligado ao grupo, o deputado federal General Girão segue filiado ao PSL apesar do descontentamento com a direção nacional da sigla.

Entretanto, para mudar de legenda sem o risco de perder o mandato, o parlamentar precisa migrar para um partido novo, o que inviabiliza a adesão ao PRTB, salvo se houver autorização judicial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário