Regina Duarte toma posse como secretária especial de Cultura - Joabson Silva

NOVAS

05/03/2020

Regina Duarte toma posse como secretária especial de Cultura


A atriz Regina Duarte tomou posse na manhã desta 4ª feira (04.mar.2020) como secretária especial de Cultura. Houve cerimônia no Palácio do Planalto, sede do Poder Executivo, para marcar a ocasião.

“A iniciativa do governo Bolsonaro de integrar Cultura e Turismo oferece ao país a oportunidade de somar o resultado das duas atividades. Meu propósito aqui é pacificação e diálogo permanente com o setor cultural, com Estados e municípios, com o Parlamento e com os órgãos de controle”, disse.

Duarte também afirmou que o apoio do Poder Legislativo “é indispensável” para tornar reais os objetivos da secretaria que assume a partir desta 4ª feira.

Filha de pai militar e mãe professora de piano, a atriz disse que foi convencida a assumir o cargo com a promessa de ter “carta branca” para as iniciativas da pasta. Por isso, disse que convidou uma equipe de trabalho “apaixonada, experiente e louca para colocar a mãe na massa”.

Já o presidente Jair Bolsonaro que “muitos têm na cabeça” que ele é “uma pessoa que está longe de amar a Cultura”. Afirmou, no entanto, que o setor “nas últimas décadas representou uma coisa que não era aquilo que o povo queria”.

Eis a íntegra da cerimônia de posse, em vídeo.


DEMISSÕES NA PASTA

Duarte foi convidada para assumir a secretaria especial de Cultura depois da demissão de Roberto Alvim por copiar num vídeo institucional o ministro da propaganda nazista Joseph Goebbels, 1 dos homens mais poderosos da Alemanha de Hitler.

A atriz, que tem em seu histórico a gravação de propaganda contra o PT, em 2002, visitou Bolsonaro em 2018 para manifestar seu apoio ao militar na disputa presidencial do 2º turno contra Fernando Haddad (PT).

Naquele ano, Duarte protagonizou programa eleitoral do candidato a presidente José Serra (PSDB) no qual disse “eu tenho medo”, em referência a eventual vitória (confirmada posteriormente) do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na disputa presidencial.

NÚMERO 2 ESCOLHIDA

Antes mesmo de assumir a Secretaria Especial de Cultura, a pasta informou no dia 23 de janeiro que o cargo de secretária-adjunta –número 2 na hierarquia– seria temporariamente ocupado pela pastora Jane Silva “até que haja uma definição sobre a nomeação de Regina Duarte”.

Interina como secretária-adjunta, Jane Silva era a secretária da Diversidade Cultural. Ela acumula as duas funções. A escolha pela adjunta partiu da própria Regina Duarte e do ministro Marcelo Álvaro Antônio (Turismo), a quem a secretaria é subordinada.

Enquanto o anúncio da atriz Regina Duarte como chefe da Cultura era aguardado, exonerações foram feitas. José Paulo Soares Martins, por exemplo, deixou o cargo de secretário-adjunto no dia 22 de janeiro. Ele ocupava interinamente a chefia do órgão desde que o titular, Roberto Alvim, foi demitido.

A assessora especial Dênia Érica Gomes Ramos Magalhães também foi exonerada naquele dia, conforme constava no DOU. Ela é advogada e filiada ao PDT.

Nenhum comentário:

Postar um comentário